Grupo tem mais de 20 milhões de visualizações, 75 mil curtidas, fez shows até na China e leva todo o talento de 23 anos de estrada ao festival

O início do Rastapé aconteceu em 1995, quando Seu Jorge, na sanfona, se apresentava em casas noturnas da Paraíba ao lado dos filhos Tico (cordas e arranjos), Jorge Filho (vocal) e Maza (zabumba e alfaia) com apresentações de um repertório formado por clássicos do forró de Luíz Gonzaga, Trio Nordestino, Jackson do Pandeiro, entre outros. Em 1999 criaram oficialmente o Rastapé e começaram a se apresentar em festas e eventos em todo o Brasil. Nessa época também surgiram as primeiras composições próprias que colaboraram para criar uma identificação com o público. O grupo que marcou uma geração se apresenta pela primeira vez no Nata Forrozeira 2019.

Com apenas dez meses de existência, o Rastapé foi convidado pela Abril Music para gravar o álbum ‘O Som do Forró’, interpretando grandes sucessos, além de uma composição própria e inédita. O trabalho logo chamou a atenção de artistas e da mídia e rendeu ao Rastapé um convite de Gilberto Gil para encerrar o Show Eu, Tu Eles, em julho de 2000, na Via Funchal, em São Paulo. O Rastapé também dividiu o palco com outros grandes nomes da música brasileira, como Elba Ramalho, Alceu Valença e Geraldo Azevedo.

Colo de Menina

No final de 2000 gravaram o CD ‘Fale Comigo’, também pela gravadora Abril Music. O álbum alcançou a marca de mais de 500 mil cópias vendidas e a faixa ‘Colo de Menina’, composta por Jorge Filho, ficou por três meses consecutivos entre as mais executadas nas rádios do país. A música também fez parte da trilha sonora da novela ‘Filhas da Mãe’, no horário nobre da TV Globo, e abriu definitivamente as portas do mercado nacional e internacional para o Rastapé.

Em 2002, o álbum ‘Até o Dia Clarear’, que mesclava canções inéditas e algumas regravações, contou com a participação de Zé Ramalho e bateu a marca de 100 mil cópias vendidas. Pela EMI lançaram em 2005 o CD ‘Pode Relampejar’. No mesmo ano realizaram o grande sonho do grupo e lançaram o primeiro DVD. Cantando a História do Forró (EMI) tem grande importância para a história do forró pé de serra e recebeu DVD de Ouro pelas 50.000 cópias, além de ser um dos finalistas do Prêmio TIM.

Tudo é Forró (EMI) foi lançado em 2006 e reúne clássicos da MPB, como ‘Andar com Fé’, de Gilberto Gil, ‘Pavão Misterioso’, de Ney Mato Grosso, ‘Medo de Avião’, de Belchior, entre outras, tocadas em ritmo de forró.

O grupo, que tem mais 20 milhões de visualizações no YouTube e quase 75 mil curtidas no Facebook,  segue fazendo shows pelo Brasil e exterior – em 2017 fez uma série de shows na China.

E em 2018, após dez anos sem gravar, o grupo lança um EP com material inédito. Das quatro faixas que compõe o EP, duas são parcerias de Jorge Filho com Tato Cruz, do grupo Falamansa, que também assina como produtor, parceria de Jorge Filho, Tico e Tato Cruz, ‘Olha Aí’ é o primeiro single. Em seguida foram lançadas mais três músicas: ‘Contando as Horas’, ‘Estrela do Meu Ser’ e ‘Um Louco do Brasil’. As canções podem ser conferidas nas plataformas digitais: Deezer, SpotiFy, Apple Music, Google Play e Ditto.

Serviço:

Festival Nata Forrozeira 2019

Data: de 18 a 21 de abril

Local: Espaço Ville Sport Shows

Endereço: Estrada Rosemary Hidalgo dos Santos, 81, Refúgio dos Bandeirantes, Santana de Parnaíba/SP.

www.nataforrozeira.com.br

Informações: (11) 9.6447-5599