Ó do Forró é presença garantida no Nata Forrozeira há dez anos

Do bairro paulista do Capão Redondo, Adan, Álvaro e Sivaldo montaram o grupo que é referência em autenticidade e talento da nova geração

Ó do Forró arrasta uma multidão de fãs do autêntico forró pé de serra com pitadas de modernidade e músicas autorais, resultado da vivência da cultura do bairro populoso da Zona Sul de São Paulo, Capão Redondo. Formado há 12 anos, o grupo participou das nove últimas edições do Nata Forrozeira, que em 2019 chega ao 11º ano – desta vez sob o comando do empresário campineiro Estéfano Bespalec Júnior. O Nata acontece entre os dias 18 e 21 de abril, em Santana do Parnaíba/SP e os ingressos estão à venda no site do evento.

Para Sivaldo, participar do Nata Forrozeira é sempre muito intenso, porque o público reage bem ao emanar muita energia positiva, cantar as músicas e passar carinho aos músicos. “Nossas apresentações no Nata são sempre muito legais. O público responde bem e assim conseguimos fazer shows memoráveis. Sabemos que a galera espera ansiosamente o evento acontecer e se entrega. É uma festa muito importante para os forrozeiros de várias partes do Brasil que se reúnem para celebrar o amor à mais pura essência do forró”, conta o vocalista. 

O zabumbeiro Adan espera que, com a nova direção, o evento seja ainda melhor e atenda às expectativas do público, que são sempre altas. “O Estéfano é muito sério, tem expertise em trabalhar com forró e outros eventos e ter a experiência dele nesse festival, que é de grande porte, é muito importante para a qualidade que os forrozeiros merecem. Sem dúvida estamos muito felizes em sermos convidados para essa nova produção do Nata que é tão especial”. “As pessoas se organizam e aproveitam um final de semana inteiro para rever os amigos, se divertir ao som do forró. Isso é incrível”, completa Álvaro, que dá vida à sanfona.

Fundada com a essência nordestina e recebendo influência do rap paulista, a banda se prepara para lançar o novo trabalho ‘Correntes’ no início de abril, com a participação especial de Happin Hood. Ou seja, quem for ao Nata deste ano vai ter a oportunidade de assistir um show com várias canções inéditas.

O início

Adan e seu irmão Álvaro, se juntaram a Sivaldo num projeto chamado Makaeda, uma banda também do Capão Redondo, que tocou em lugares importantes para o forró. O Makaeda acabou e eles continuaram na carreira musical como um trio ainda conciliando outras profissões. Para os três, o forró está em suas vidas como uma herança familiar. A música sempre esteve no sangue, na arte e na vivência, como na música de sucesso.

Os irmãos tiveram forte influência musical desde a infância, porque o pai, Seu Oliveira, é sanfoneiro e cantador. Fã de Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Mestre Camarão, Trio Nordestino, entre outros, incentivou os filhos a aprender a tocar os instrumentos como forma de ajuda-lo e também como ferramenta de educação para evitar que os meninos ficassem na rua depois da escola. Os irmãos tiveram a chance de crescer ouvindo os grandes mestres e aprenderam a tocar zabumba e triangulo para acompanhar o pai. O ambiente do forró sempre foi o habitat natural para os dois. Seu Oliveira fazia parte de um trio na Paraíba, com a participação da esposa, Julieta que o acompanhava na zabumba. Depois de um tempo de casados se mudaram para São Paulo em busca do sonho de uma vida melhor. Na cidade grande, Julieta conseguiu trabalho numa escola infantil. Com a jornada fora de casa, a vida doméstica e o cuidado com os filhos, o tempo livre para acompanhar o marido era cada vez mais escasso. Daí o cargo de zabumbeiro foi passado para o filho mais velho, José, e logo em seguida para Adan. Em meio à tradição, não havia uma festinha em família sem forró e foi nesse ambiente que Adan e Álvaro cresceram.

O pernambucano Sivaldo cresceu ouvindo a mãe cantar canções do Nordeste enquanto fazia as tarefas domésticas e ele alimentava o sonho, desde menino, de que se tornaria um grande cantor. Mesmo tendo se mudado para a capital paulista ainda pequeno conviveu com a cultura nordestina e toda a influência cultural. Os três se conheceram no bairro onde cresceram e tinham em comum os costumes, as raízes, e agregaram a miscigenação cultual que a cidade grande lhes ofereceu.    

Formaram o Ó do Forró, banda que vem ganhando destaque da mídia especializada pela identidade própria, carisma e presença de palco indiscutíveis. Sobre o nome Adan explica: “Escolhemos o nome Ó do Forró, como se fosse um oh, que interessante, algo que remete à novidade, expressão de surpresa” resume Adan, passando o sentimento do trabalho que fazem ao misturar todo o respeito às tradições do forró com a musicalidade autêntica e letras autorais modernas, o que explica todo o sucesso que a banda faz por onde passa.

Ó do Forró começou abrindo shows de artistas consagrados, como Trio Nordestino, Dominguinhos, Elba Ramalho, entre outros. Já participaram de grandes eventos para a arte nacional, como Encontro das Tribos, FIFA Fan Fest 2018, Virada Cultural, entre outros. No centenário de Luiz Gonzaga o Ó do Forró conquistou muitos fãs e reconhecimento ao se apresentar nas ruas de São Paulo com os trabalhos autorais, prestando a homenagem ao grande mestre na Avenida Paulista, coração de São Paulo.

Já participaram de alguns programas de televisão e rádio, sempre apresentando trabalhos próprios e realizaram duas turnês pela Europa em 2017 e 2018 passando por França, Alemanha, Suíça, Portugal e Inglaterra.

Ó do Forró tem dois CDs gravados e dois clipes oficiais, um deles, ‘Voz do Coração’ tem mais de 100 mil visualizações no Youtube.

Serviço:

Festival Nata Forrozeira 2019

Data: de 18 a 21 de abril

Local: Espaço Ville Sport Shows

Endereço: Estrada Rosemary Hidalgo dos Santos, 81, Refúgio dos Bandeirantes, Santana de Parnaíba/SP.

www.nataforrozeira.com.br

Informações: (11) 9.6447-5599

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *